A área de recursos humanos como consultoria interna e sua capacidade de inovação

Número: 
3777
Código do trabalho: 
T13_0574_3777
Resumo: 
O presente estudo tem como objetivo final verificar se as empresas que optaram por adotar o modelo de consultoria interna de recursos humanos inovam mais em suas práticas de gestão do que as que possuem uma atuação tradicional. Para isso contou com o desenvolvimento de um modelo conceitual que norteou o trajeto metodológico. A investigação de natureza exploratória utilizou dados secundários pertencentes a um universo constituído por 541 empresas nacionais e multinacionais de diferentes portes, e 139 mil profissionais participantes de uma pesquisa longitudinal entre os anos de 2007 a 2011. A amostra não probabilística e típica foi composta por 36 empresas, e os achados do estudo sugerem que, independentemente do tipo de configuração estruturada pela ARH, a presença da inovação em práticas de RH são constantes e crescentes entre os anos de 2007 a 2011. Os resultados demonstraram uma inversão no pressuposto apresentado no modelo conceitual integrador, ou seja, as empresas que possuem a configuração tradicional da ARH inovam mais do que as que possuem consultoria interna. Percebeu-se, também, a existência da exclusão de práticas ao longo dos anos, e que poderia ser um indicativo de alinhamento flexível da ARH. Apesar das limitações que esse estudo possui, uma de suas principais contribuições diz respeito a uma possível agenda de pesquisa sobre o tema.
Abstract: 
The proposal of the present study is to verify if companies that adopted the model of human resources internal consulting innovated more in their management practices than those who keep a traditional practice. It was included the development of a conceptual model to guide the methodology. The exploratory research used secondary data belonging to a universe of 541 national and multinational companies of different sizes, and 139 000 interviwed in a longitudinal study between the years 2007 to 2011. The sample is not probabilistic and typically consisted of 36 companies, and the study's findings suggest that, regardless of the setting framed by ARH, the presence of innovation in HR practices are constant and increasing between the years 2007 to 2011. The results showed a reversal on the assumption made in the conceptual model, ie, the companies with the traditional configuration of ARH innovate more than those adopted the internal consulting. It was also noticed that the exclusion of the practices over the years could flexible alingnment of the human resource role. Despite the limitations of this study, one of its contributions is regarded to a possible agenda of research.