PROPOSTA DE METODOLOGIA DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE DEFEITOS EM CÉDULAS

Número: 
XII CNEG & III INOVARSE 2016
Código do trabalho: 
T16_M_02
Resumo: 
Em produtos gráficos de segurança não há seguridade ao menos que os mais altos padrões de qualidade sejam aplicados durante a produção, resultando em um produto acabado conforme as especificações. Qualquer impressão de baixa qualidade ou falta de compreensão do processo de produção, inevitavelmente enfraquece a segurança do produto. Quanto mais pobre a qualidade e maior o desvio da especificação mais fácil se torna a falsificação desses produtos. A essência da impressão de segurança é a capacidade de reproduzir o processo de impressão de forma consistente e de uma maneira que não pode ser produzida por técnicas de impressão comerciais. Como em qualquer processo produtivo, defeitos são gerados, mas o mesmo não pode ser classificado como “tolerável” ou “rejeitado”, eles devem ser graduados nos termos de sua severidade. E esta tarefa se torna ainda mais complicada quando a localização do defeito tem que ser levado em consideração. É uma prática comum aceitar uma pequena pinta escura quando a mesma é localizada em uma área de baixo valor, próximo à borda de uma cédula, mas este defeito se torna inaceitável se a mesma ocorre na área do “portrait” ou em algum elemento de segurança. Neste sentido, este artigo tem como objetivo propor uma metodologia de avaliação de defeitos para cédulas no qual é impresso em uma gráfica de segurança, buscando alcançar os muitos benefícios da aplicação da metodologia.
Congresso: 
XII Congresso Nacional de Excelência em Gestão & III INOVARSE 2016