MEMÓRIA COLETIVA: APROXIMAÇÃO EPISTEMOLÓGICA DAS TEORIAS DE SHELDRAKE E JUNG

Número: 
XII CNEG & III INOVARSE 2016
Código do trabalho: 
T16_211
Resumo: 
Este estudo tem como objetivo entender o processo de construção da memória coletiva pelo indivíduo enquanto participante de um grupo social. Sabendo-se da incapacidade de abranger todas as questões que envolvem esta discussão, mas visando atingir a amplitude mínima desejada, buscou-se apoio nas teorias dos Campos Mórficos de Sheldrake (1995) e de Inconsciente Coletivo de Jung (1964;1980;2000) construindo um caminho de entendimento criação desta memória, mas inclusive de como se processa o “acesso” à ela pelo indivíduo em busca de seu equilíbrio com o meio.da memória coletiva. A metodologia utilizada configura-se como descritiva bibliográfica por apresentar características dos fenômenos estudados relacionando as diferentes variáveis e, por se tratar de um estudo sistematizado desenvolvido com base em material publicado, partindo de uma revisão de livros relacionados ao tema em questão, promovendo uma discussão intersubjetiva. Os resultados demonstram que há uma forte relação entre os conceitos estudados pelos dois autores. Ambos mostram a possibilidade de se estudar o homem sob outro ângulo, ou seja, considerando seu inconsciente coletivo com seu campo mórfico específico, sendo transmitido por meio de ressonância mórfica.
Congresso: 
XII Congresso Nacional de Excelência em Gestão & III INOVARSE 2016