A INDÚSTRIA DE RADIOFÁRMACOS NO BRASIL: O CASO DA FLUORDESOXIGLICOSE (FDG).

Número: 
XII CNEG & III INOVARSE 2016
Código do trabalho: 
T16_202
Resumo: 
Trata-se de um estudo teórico, com abordagem qualitativa, substanciado por uma pesquisa documental que tem como objetivo apresentar a vertente industrial do arranjo produtivo de radiofármacos no Brasil, especialmente da Fluordesoxiglicose (FDG), considerando o balizamento determinado pela Emenda Constitucional - EC nº 49 de 2006, de modo a aferir se a população brasileira foi ou não beneficiada com a quebra do monopólio estatal nessa atividade. O foco inicial foi demonstrar a produção pública de radiofármacos, depois, explicitar o nicho de mercado criado pela EC, no qual a FDG representa o padrão-ouro. A produção privada desse insumo é demonstrada, assim como, a ponta consumidora, representada pelos serviços de medicina diagnóstica por imagem que utilizam equipamentos PET-CT. Em seguida, a abordagem se direcionou à distribuição nacional dessa tecnologia diagnóstica. O estudo evidenciou a ampliação da produção que não se daria sem a iniciativa privada; porém, também constatou assimetria na disponibilização dessa vertente médica à população brasileira.
Congresso: 
XII Congresso Nacional de Excelência em Gestão & III INOVARSE 2016