AS CONDIÇÕES DE TRABALHO NO SETOR PETROLÍFERO OFFSHORE: UMA REVISÃO DE LITERATURA

Número: 
XII CNEG & III INOVARSE 2016
Código do trabalho: 
T16_194
Resumo: 
Se uma guerra ocorre em algum lugar do globo, a probabilidade de estar ligada direta ou indiretamente à exploração de hidrocarbonetos não é pequena. Este artigo busca discutir se os inúmeros trabalhadores que constroem essa força e riqueza têm sua indispensabilidade reconhecida e seus limites físicos/mentais respeitados, se os inegáveis avanços tecnológicos ocorrem paralelamente a uma precarização das condições de trabalho. A proteção de pessoas, do patrimônio e do ambiente deve ser pensada de forma participativa (que envolva, inclusive, a sociedade), difundindo uma mentalidade na qual, quando ocorre um acidente, este possa ser entendido como uma falha da organização, e não apenas de alguns poucos atores prontamente culpabilizados. Os resultados apontam para uma perigosa defasagem entre a gestão da tecnologia e a gestão do risco. As reclamações dos trabalhadores petroleiros, principalmente terceirizados, quanto às condições de trabalho não sofreram grandes modificações ao longo de, pelo menos, três décadas. Uma efetiva Cultura de Segurança passa por responsabilidades coletivas e pela valorização da comunicação desbloqueada entre os diferentes níveis hierárquicos de uma empresa.
Congresso: 
XII Congresso Nacional de Excelência em Gestão & III INOVARSE 2016