APLICAÇÃO DE MODELO DE MATURIDADE NAS PRÁTICAS DE INTEGRIDADE CORPORATIVA

Número: 
XII CNEG & III INOVARSE 2016
Código do trabalho: 
T16_180
Resumo: 
Os recentes escândalos de corrupção e as consequentes perdas geradas fizeram crescer a importância da adoção de um programa de Compliance nas empresas. Aspectos jurídicos e regulatórios foram criados e as organizações passaram a priorizar os riscos relacionados ao tema. O presente artigo tem por objetivo identificar as práticas de Integridade Corporativa existente nos diversos documentos sobre este tema e propor um modelo de maturidade que classifique tais práticas de acordo com o possível impacto das mesmas nos negócios. Devido à novidade do tema, a pesquisa preocupa-se em definir conformidade em ambiente corporativo, traz uma explicação das leis e dos aspectos regulatórios existentes para, somente após, apresentar os conceitos de modelo de maturidade. A aplicação dos dados consistiu em classificar as práticas sugeridas pelo órgão fiscalizador às empresas estatais de acordo com o modelo de maturidade sugerido. Os critérios para a classificação baseou-se em uma lógica de implantação cronológica de atividades de Compliance. Por fim, os resultados obtidos foram satisfatórios, na medida em que, trouxe um modelo de maturidade inovador que pode ser utilizado pelas empresas como um guia na implantação de um modelo de maturidade.
Congresso: 
XII Congresso Nacional de Excelência em Gestão & III INOVARSE 2016