AGRESSIVIDADE AMBIENTAL EM ESTRUTURAS DE PONTES E OS IMPACTOS NEGATIVOS AO MEIO AMBIENTE DESSAS CONSTRUÇÕES: ANÁLISE PER - MODELO PRESSÃO-ESTADO-RESPOSTA

Número: 
XII CNEG & III INOVARSE 2016
Código do trabalho: 
T16_390
Resumo: 
Muitas pontes estão localizadas em ambientes considerados de forte agressividade ambiental, como matas, rios, regiões industrializadas, ambientes nativos com fortes variações climáticas, onde a agressividade destes ambientes proporciona desequilíbrios associados à patologias que atacam às estruturas de pontes trazendo graves consequências à vida útil e à funcionalidade da estrutura. Por outro lado, o meio ambiente se apresenta como o espaço a ser modificado pela ação antrópica e essa transformação precisa ser pensada de forma sustentável, para que os impactos ambientais negativos sejam minimizados e não comprometa irreversivelmente o ecossistema presente ao ambiente construído. Portanto, esse artigo objetiva explicitar agressões ao meio ambiente por evento de construção relacionado a pontes, bem como, as agressões que o próprio meio ambiente tende e pode devolver ao mesmo evento. Além disto, o presente trabalho busca identificar e sugerir as principais ações para ambos os casos como forma de contribuir para o equilíbrio dos princípios sustentáveis, quais sejam: Econômico, social e ambiental. Do ponto de vista metodológico, entende-se que o PER - Modelo Pressão-Estado-Resposta (CARVALHO et 2008) representa um modelo eficaz para identificações das variáveis envolvidas Dos resultados se espera identificar e sugerir, como contribuição, um conjunto de ações para extinção e mitigação de patologias nas estruturas e também, de impactos negativos ao meio ambiente.
Congresso: 
XII Congresso Nacional de Excelência em Gestão & III INOVARSE 2016