SISTEMAS LOCAIS DE INOVAÇÃO, DISTRITOS INDUSTRIAIS, CLUSTERS E A QUESTÃO DO ESPAÇO ECONÔMICO, POLÍTICO E SOCIAL: ESTUDO DE CASO MÚLTIPLO SOBRE A INOVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE NA REDESFITO E REDESIST

Número: 
XII CNEG & III INOVARSE 2016
Código do trabalho: 
T16_367
Resumo: 
A aprovação da Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos (PNPMF) no Brasil representa a vontade do Estado em lidar com a produção e o uso de medicamentos de origem vegetal (fitoterápicos). Pensar a inovação de medicamentos a partir da biodiversidade vem da constatação de que o Brasil é um país com uma flora exuberante que contém pelo menos 25% de toda a flora do planeta. Promover o desenvolvimento na Amazônia implica fomentar uma interação virtuosa entre forças sociais capazes de usar as riquezas derivadas da biodiversidade e outros recursos naturais regionais sem destruí-la. Este estudo de caso múltiplo sobre a inovação da biodiversidade na área de fitoterápicos, analisa sob o enfoque dos sistemas locais de inovação, distritos industriais, clusters e a questão do espaço econômico, político e social. Como objeto de estudo foram escolhidos projetos desenvolvidos pela RedeSist (IE/UFRJ) e pela RedesFito (Fiocruz). Foi constatado que embora haja esforços para estimular a inovação em fitoterápicos, ainda está restrito aos arranjos locais, demonstrando necessidade de fortalecimento de iniciativas governamentais integradas para composição de um Sistema Nacional de Inovação
Congresso: 
XII Congresso Nacional de Excelência em Gestão & III INOVARSE 2016