PATENTES COMO FONTE DE INFORMAÇÃO ESTRATÉGICA NA ANALISE DE CENÁRIOS TECNOLÓGICOS E MERCADOS POTENCIAIS

Número: 
XII CNEG & III INOVARSE 2016
Código do trabalho: 
T16_365
Resumo: 
A utilização de documentos de Propriedade Intelectual (PI) - como é o caso de patentes - pode ser muito útil para empresas que precisam desenvolver novas tecnologias frente às demandas por mais competitividade. Este trabalho teve como objetivo apresentar o que são os ativos de PI, em particular as patentes, e uso destas como fonte de informação tecnológica no estudo de oportunidades tecnológicas e de mercados pelas empresas. Foi realizada uma pesquisa bibliográfica e documental na literatura especializada, e uma pesquisa na base de dados do INPI sendo escolhido um caso - como exemplo - na área tecnológica da indústria siderúrgica, mais especificamente em tecnologias de fabricação aço e metalurgia. A partir da revisão da literatura vimos que a patente descreve detalhadamente a tecnologia e a sua aplicabilidade em dado setor industrial, sendo mais abrangente e detalhada que outras fontes de informação. A patente geralmente está disponível antes que a tecnologia e mesmo o produto estejam disponíveis no mercado. A partir do estudo realizado foi possível verificar que os documentos de patentes possuem características uniformes quanto ao arranjo de dados, facilitando assim que informações possam ser facilmente organizadas em estudos específicos e difundidas entre os agentes econômicos. Dependendo da organização das informações os dados podem auxiliar em estudos de mercados potenciais (nacionais e internacionais) para determinadas tecnologias e processos, assim como nas trajetórias tecnológicas mais relevantes, entre outros enfoques igualmente importantes para as estratégias das empresas.
Congresso: 
XII Congresso Nacional de Excelência em Gestão & III INOVARSE 2016