MONITORAMENTO TECNOLÓGICO EM GRAFENOS A PARTIR DE ANÁLISES EM DOCUMENTOS DE PATENTES

Número: 
XII CNEG & III INOVARSE 2016
Código do trabalho: 
T16_364
Resumo: 
O grafeno vem nos últimos dez anos revolucionando a ciência e tecnologia com possibilidades diversas em inúmeras aplicações. Grafeno é um nanomaterial definido como a base de construção de toda a família de materiais de carbono, como grafite, fulerenos e nanotubos de carbono. O grafeno constitui uma inovação tecnológica, por se tratar de um material tecnologicamente novo, sintetizado em laboratório em 2004 no Reino Unido por André Geim e sua equipe de pesquisa. Com o objetivo de monitorar a evolução tecnológica do grafeno, foi realizado o monitoramento tecnológico em documentos de patentes no banco de patentes nacional, o Instituto Nacional de Proteção Intelectual (INPI), e o banco de documentos de patentes comercial Derwent Inovations. Uma ferramenta bastante eficiente no monitoramento tecnológico é a bibliometria, uma técnica de prospecção eficaz no estudo de tendências. Na base de dados internacional foram encontrados pouco mais de 10.000 registros de patentes em grafeno no período entre 2004 e 2015, já no INPI, foram localizados 26 registros, sendo quatro de origem nacional. No Brasil as pesquisas se concentram na ciência pura a aplicada, enquanto no resto do mundo o foco é em aplicações concretas. No mundo inteiro têm ocorrido avanços bastante significativos nas pesquisas com grafeno, além das propriedades físicas e químicas, é investigada uma forma de alcançar a produção em escala industrial e com a qualidade requerida para atender os mercados consumidores atuais e potenciais. Observa-se, contudo que começa a ocorrer uma desaceleração na produção de documento de patentes e seu consequente deposito em base de patentes. Após cerca de 10 anos de desdobramentos e investimentos em pesquisas, a tecnologia com grafeno continua na fase de descobertas, porém, as descobertas são de obstáculos técnicos, como o controle da borda do grafeno, que interfere diretamente em suas propriedades eletrônicas. A falta de recursos técnicos e financeiros podem dificultar os avanços tecnológicos e provocar uma estagnação na evolução tecnológica.
Congresso: 
XII Congresso Nacional de Excelência em Gestão & III INOVARSE 2016