A RELAÇÃO DA CULTURA ORGANIZACIONAL COM A QUALIDADE DOS SERVIÇOS PRESTADOS

Número: 
XII CNEG & III INOVARSE 2016
Código do trabalho: 
T16_357
Resumo: 
No cenário brasileiro, as atividades farmacêuticas iniciaram-se a partir de preparações artesanais de medicamentos realizados por profissionais em suas antigas farmácias, que eram chamadas de boticas. Nas décadas de 40 e 50, com a chegada do governo de Getúlio Vargas, muitas indústrias farmacêuticas tomaram seu espaço no país e as farmácias magistrais entraram em declínio entre os anos 60 até os anos 80. Uma boa estrutura de um sistema de gestão da qualidade permitirá um controle maior do processo, evitando assim a manipulação de produtos não conformes. No entanto, ter qualidade também incide em economia de tempo e dinheiro. Após os anos 90 o setor de farmácia de manipulação passou a ser uma área concorrida implicando que a qualidade viesse a ser considerada tanto como requisito legal como também essencial. O objetivo deste trabalho foi analisar as não- conformidades em uma farmácia de manipulação situada, no município do Rio de Janeiro. Para a realização desta pesquisa foram analisados todos os registros de não-conformidades de fevereiro de 2015 a fevereiro de 2016, tendo sido registradas setenta e seis não-conformidades, nesse período. As nāo-conformidades foram agrupados com letras do alfabeto de A a Z e classificados pelos seus tipos encontrados sendo como: Grupo A - Falhas de Reações Adversas, Grupo B- Erros de Farmacotécnica, Grupo C- Erros Administrativos, Grupo D - Falta de Qualidade da Matéria Prima e Embalagem e Grupo E- Falta de Orientaçāo Farmacêutica. Posteriormente foram propostas ações corretivas e/ou preventivas para as não-conformidades.
Congresso: 
XII Congresso Nacional de Excelência em Gestão & III INOVARSE 2016