CULTURA ORGANIZACIONAL E SUSTENTABILIDADE: ESTUDO DE CASO EM UM ESTALEIRO

Número: 
XII CNEG & III INOVARSE 2016
Código do trabalho: 
T16_344
Resumo: 
Cada organização desenvolve a sua própria cultura, a sua “forma de fazer as coisas”, sua personalidade, sua alma. Essa cultura a individualiza e diferencia das demais empresas e pode tornar-se um grande ativo capaz de impulsionar o seu sucesso, ou um passivo que pode levá-la ao fracasso nos negócios. Este trabalho tem como objetivo geral realizar um diagnóstico da cultura organizacional em uma empresa do setor de construção naval e verificar se esta contribui para sustentabilidade dos seus negócios. Para atingir a meta, foi adotado, como principal referencial teórico, o modelo dos sete níveis de consciência de Richard Barrett (2006) que possibilita a verificação do grau de alinhamento entre os valores organizacionais e pessoais e a alocação destes valores aos sete níveis de consciência do método. Trata-se de um estudo de caso de natureza quantitativa e qualitativa. Foi aplicado um questionário estruturado onde os funcionários identificaram os principais valores organizacionais e pessoais. Foi utilizada ainda a técnica da análise de documentos. Os resultados demonstraram haver significativo desalinhamento entre os valores organizacionais e pessoais e uma cultura focada no interesse próprio com a maioria dos seus valores atuais localizados nos três primeiros níveis de consciência, apontando para uma cultura que não contribui para a sustentabilidade organizacional.
Congresso: 
XII Congresso Nacional de Excelência em Gestão & III INOVARSE 2016