A ESTRATÉGIA E OS DESAFIOS QUE PRECEDEM A CONSTRUÇÃO DOS SCORECARDS E A EXECUÇÃO DO BSC.

Número: 
XII CNEG & III INOVARSE 2016
Código do trabalho: 
T16_311
Resumo: 
O Balanced Scorecard (BSC) foi desenvolvido e aperfeiçoado nas últimas duas décadas por Kaplan e Norton. Em seu escopo, as quatro perspectivas: financeira, clientes, processos internos e aprendizado e crescimento têm como principal objetivo ser um painel de instrumentos para ajudar no alinhamento, controle e alcance dos objetivos estratégicos da organização, bem como, entregar valor, no sentido de dirimir a lacuna entre os pressupostos iniciais da estratégia e a sua execução. A sua difusão nos meios organizacionais continua a provocar os meios acadêmicos, visto que mesmo que as organizações estejam comprometidas com os esforços de implantação e execução de um excelente BSC podem não alcançar o desempenho desejado. Desta forma, lançando dúvidas acerca da eficácia da ferramenta. Neste contexto, este trabalho analisa três desafios que o BSC deve superar: problemas nas diretrizes superiores da organização relacionados à construção da missão e da visão de futuro; as recentes afirmações de Kaplan Norton (2008) acerca do “agnosticismo” do BSC em relação à outras ferramentas de gestão da estratégia e melhoria operacional; e, as possibilidades de equívocos na implantação e execução do BSC. A análise desenvolvida aponta que não é o uso do BSC que deve automaticamente melhorar o desempenho da organização, mas sim a forma como é utilizado. Os processos analisados por este trabalho que precedem o BSC durante o desenvolvimento da estratégia, limitações da ferramenta e possíveis contingências durante a execução, indicam que relacionar o desempenho alcançado pela estratégia organizacional exclusivamente ao uso do BSC parece ser pouco prudente.
Congresso: 
XII Congresso Nacional de Excelência em Gestão & III INOVARSE 2016