MODELOS DE NEGÓCIOS E SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL – A ECOLOGIA INDUSTRIAL NA SIDERURGIA NO BRASIL

Número: 
XII CNEG & III INOVARSE 2016
Código do trabalho: 
T16_126
Resumo: 
O presente estudo visa discutir como uma grande empresa brasileira pode se beneficiar com o uso estratégico de seus resíduos e efluentes tendo como pano de fundo o arcabouço teórico da Ecologia Industrial (EI). Para tal optou-se por um estudo de caso do setor de carboquímicos e cimentos da CSN, criados dentro da planta siderúrgica da Usina Presidente Vargas (UPV) em Volta Redonda - RJ. A partir de consulta de relatórios de desempenho e gestão disponíveis no site institucional, e de trabalhos ceintíficos publicados como teses e artigos, foi possível construir um perfil da empresa, estudar as fases da produção e os resíduos que são gerados e reaproveitados, assim como analisar modelos de negócios que surgiram a partir desses resíduos industriais. O projeto dos carboquímicos e cimentos foram implantados por conta do prejuízo ambiental que já havia sido gerado ao meio ambiente desde os anos 70. Sob o ponto de vista da Ecologia Industrial a empresa ampliou a sua capacidade de mercado, e conseguiu garantir a gestão ambiental e reciclagem de resíduos altamente perigosos. Os carboquímicos da CSN atualmente são usados como matérias-primas para produção de asfalto, tintas, desinfetantes, fertilizantes e muitos outros produtos, já os resíduos como a escória dos alto-fornos tem sido usados na fabricação de cimento portland CPIII, com caracteristicas de alta resistência e baixo custo de produção, o que trouxe a criação de uma outra empresa do grupo – CSN cimentos. Com tais iniciativas a empresa gerou um novo portfólio de produtos abrindo novos mercados e conquistando clientes no Brasil e no mundo.