GOVERNANÇA NA GESTÃO PORTUÁRIA: UM ESTUDO EM UM PORTO SECULAR

Número: 
XII CNEG & III INOVARSE 2016
Código do trabalho: 
T16_068
Resumo: 
Com a intensificação da competição entre os mercados mundiais as operações de importação e exportação foram ampliadas, o que prescindiu a ampliação dos portos. Diante deste cenário os portos se tornaram elementos estratégicos, exigindo um gerenciamento adequado. Para se ter uma análise da governança nos portos alguns modelos vem sendo desenvolvidos, dentre estes se destaca a proposição de Vieira, Kliemann Neto e Monfort Mulinas (2013). Este modelo busca identificar os resultados da governança, indicando a necessidade de ações, que são implantadas nos elementos de governança, sendo codificados pela estrutura da gestão. O porto do Recife existe desde a constituição da cidade do Recife a mais de 200 (duzentos anos), o que sugere um questionamento acerca do nível de governança existente nesta organização portuária. Neste sentido, este estudo objetivou aplicar o modelo de governança proposto por Vieira, Kliemann Neto e Monfort Mulinas (2013) ao porto do Recife. Para tanto, foi adotada como metodologia a pesquisa qualitativa básica pautada pelo método qualitativo, sendo a coleta realizada por meio de entrevistas e observação. Os dados foram analisados de forma descritiva o que permitiu a verificação de que o nível de governança no porto é reduzido em virtude da inércia no desenvolvimento do mesmo. Concluiu-se que em virtude do deslocamento de foco em relação à atividade portuária no estado o porto vem passando por reduções de espaço físico e de investimentos, sendo suas proximidades transformadas em palco para atividades socioculturais.
Congresso: 
XII Congresso Nacional de Excelência em Gestão & III INOVARSE 2016