A INCLUSÃO DE PESSOAS COM TRANSTORNO MENTAL NA LEI DAS COTAS: UM ESTUDO DE CASO SOBRE RESPONSABILIDADE SOCIAL ORGANIZACIONAL

Número: 
XII CNEG & III INOVARSE 2016
Código do trabalho: 
T16_067
Resumo: 
Ações afirmativas são políticas públicas que visam corrigir injustiças sociais históricas. Iniciadas com a defesa dos direitos raciais, sua abrangência passou a incluir também as pessoas com deficiência. Neste grupo, no entanto, uma questão pouco explorada é que a tipificação das deficiências também pode ser excludente. Este estudo debate a importância da Lei das Cotas para garantir o trabalho às pessoas com transtorno mental. É apresentado um estudo de caso, numa rede de supermercados que contratou uma empresa de consultoria para empregar um contingente de 52 pessoas com transtornos mentais, incluídas recentemente na Lei 8213/91(Lei de Cotas), conforme Convenção da ONU/2006. Observou-se que a inclusão deste grupo na Lei das Cotas é fundamental para que a empresa possa atender às exigências de políticas públicas inclusivas e para que os usuários da saúde mental tenham possibilidade de trabalhar amparados por um modelo de gestão adequado às suas particularidades. Como resultado, destaca-se a possibilidade da empresa cumprir suas metas, valorizar a diversidade e favorecer o resgate de cidadania pelo trabalho de um dos grupos mais excluídos da sociedade capitalista.
Congresso: 
XII Congresso Nacional de Excelência em Gestão & III INOVARSE 2016