ORIENTAÇÃO EMPREENDEDORA E SUA ASSOCIAÇÃO COM AS CAPACIDADES DINÂMICAS: UM ESTUDO EM AGROINDÚSTRIAS

Código do trabalho: 
T_15_332
Resumo: 
Pesquisadores de diferentes áreas, em especial interessados em estratégia, tem dedicado a atenção de suas agendas de pesquisa para compreender a orientação empreendedora dos gestores e seus desdobramentos. Neste contexto surgem as capacidades dinâmicas, como sendo a habilidade interna da organização para se projetar em relação ao ambiente externo e, com isto, obter melhores desempenhos. Desta forma, objetiva-se com a presente pesquisa correlacionar a orientação empreendedora com as capacidades dinâmicas: gerencial, mercadológica e ambidestra de agroindústrias do RS. A metodologia sustenta-se na pesquisa quantitativa e na técnica survey, sendo analisadas 14 agroindústrias representativas de diferentes regiões do estado do Rio Grande do Sul. Foram empregadas diferentes técnicas estatísticas. Os resultados apontaram que a orientação empreendedora possui relação positiva com a capacidade mercadológica e ambidestra. Não foi possível confirmar a relação com a capacidade gerencial. Assim, identificou-se que as ações empreendedoras dos gestores possuem ligação com as busca pelo atendimento, e antecipação das demandas dos clientes, além da criação de novos produtos/serviços em consonância com a melhoria dos já criados, de maneira constante e equilibrada. Estes achados demonstram uma característica peculiar das agroindústrias familiares, o conhecimento seus clientes e a busca pela diferenciação com produtos que agregam valor, fortalecendo as relações entre o rural e urbano. A ampliação dos produtos ofertados demonstra a preocupação das agroindústrias com as relações de comercialização, fazendo com que as práticas agrícolas recebam reconhecimento como negócio e contribuam para sustentabilidade e qualidade de vida no meio rural.