Ações para capacitação de empreendedores sociais a partir de escolas de negócios brasileiras e européias

Número: 
3044
Código do trabalho: 
T12_0531_3044
Resumo: 
Desde o final da década de 1990, a emergência de inovações sociais, entre elas o empreendedorismo social, produz novas formas de tratamento e busca de soluções para os problemas sociais, surgidos devido ao fracasso dos governos e organismos estatais. Apesar do crescente interesse acadêmico sobre este campo de estudo, a definição de empreendedorismo social não é consenso e tem-se tornado mais complexa. Sobretudo quanto às linhas de investigaçao há que se considerar as diferenças entre autores norte-americanos e europeus, sendo que os primeiros adotam o termo do empreendedorismo social e os europeus assumem a linha da empresa social, que também possui diferentes interpretações, diferindo de país a país, sob diversas formas legais. Também emerge uma outra concepção de empresa social, a partir da proposição de Yunus (2008), diferente do conceito de empresa social baseada na economia social. Ademais, nos últimos dez anos inúmeras instituições e escolas de negócios tem ofertado programas de capacitação em empreendedorismo social, ao utilizar sua estrutura e expertise, consolidadas em suas experiências com formação de gestores e líderes empresariais. Assim sendo, este trabalho, resultado de uma parceria entre investigadores e professores da Universidade Politécnica de Madrid (UPM) e da Universidade Federal de Santa Catarina(UFSC), pretende analisar os termos empresa social e empreendedorismo social e suas características bem como descrever alguns cursos e programas de capacitação de empreendedores sociais e seus elementos constituintes. Trata-se de trabalho de cunho exploratório, com abordagem qualitativa, e pesquisa em periódicos, livros, sites, papers. Resultante dessa pesquisa, constata-se que apesar de divergentes em alguns aspectos, as diversas iniciativas para a busca da superação dos problemas sociais possuem elementos comuns, assim como os programas de capacitação das instituições e escolas de negócios analisadas.
Abstract: 
Since the late 1990s, the emergence of social innovations, includingsocial entrepreneurship, produces new forms of treatment andseeking solutions to social problems arising due to the failure of governments and state agencies. Despite the growing academic interest about this field of study, the definition of social entrepreneurship is not a consensus and has become more complex. Especially about the lines of investigation is necessary to consider the differences between American authors and Europeans, and the first embrace the term social entrepreneurshipand the Europeans take the line of social enterprise, which also hasdifferent interpretations, differing from country to country, undervarious legal forms. It also emerges a new conception of social enterprise, from the proposition Yunus (2008), different from the concept of social enterprise based in the social economy.Moreover, in the last ten years many institutions and business schools have offered training programs in social entrepreneurship, using its structure and expertise, consolidated their experiences with management training and business leaders. Thus, this work is the result of a partnership between researchers and professors from the University of Madrid (UPM) and the Federal University of SantaCatarina (UFSC), intends to analyze the terms social enterprise and social entrepreneurship and its features and describe somecourses and training programs for social entrepreneurs and their constituents. This is exploratory work, with a qualitative approach,and research in journals, books, websites, papers. Resulting from this research, it appears that despite differing in some respects, the various initiatives to seek to overcome social problems have common elements, as well as training programs of the institutionsand business schools analyzed.