Análise do Desconforto Acústico em Escritórios de Plano Aberto (Open-Plan Offices)

Número: 
2819
Código do trabalho: 
T12_0493_2819
Resumo: 
Este estudo compreende uma abordagem analítica sobre o desconforto acústico em escritórios de plano aberto (open-plan offices), cujo layout com divisórias, amplamente utilizado, não traz a devida privacidade. Tendo em vista o desconforto acústico em escritórios de plano aberto, este trabalho tem como objetivo verificar quais são as fontes de ruído e o quão são incômodas para seus usuários. Os ruídos neste ambiente são provenientes de diversas fontes: conversação, impressoras, saídas de ar-condicionado, campainhas de telefone etc. Através da revisão da literatura foi possível verificar a existência de diversos recursos para amenizar estes ruídos: revestimento acústico, divisórias, ruídos de mascaramento, entre outros. No entanto, um estudo de caso em um escritório de plano aberto no Rio de Janeiro, possibilitou relatar o ambiente estudado colocando as percepções das pessoas sobre os ruídos presente neste local. Um dos resultados alcançados mostrou que a fala humana é a principal fonte de desconforto acústico (31%), seguido da campainha do telefone (25%). Foi possível verificar o quanto cada fonte de ruído gera desconforto e quais outros distúrbios laborais são acarretados pela incidência de ruídos neste ambiente.
Abstract: 
This study comprises an analytical approach on the acoustic discomfort in open plan offices (open-plan offices), whose layout with partitions, widely used, does not provide adequate privacy. Given the discomfort acoustic open-plan offices, this study aims to determine what are the sources of noise and how uncomfortable they are to their users. The noise in this environment comes from several sources: conversation, printers, air conditioning outlets, phone ringing etc.. Through the literature review was possible to verify the existence of various resources to mitigate these noise: acoustic lining, partitions, noise masking, among others. However, a case study in an open-plan office in Rio de Janeiro, allowed to report the studied environment putting people's perceptions about the noise present in this location. One of the results showed that human speech is the most disturbing acoustic (31%), followed by the ringing of the telephone (25%). It was possible to determine how much each source of noise which causes discomfort and other labor disturbances are posed by the impact of noise in this environment.